Comentários de Fernando Abelha

Em 16 de maio último, recebemos da Federação Nacional dos Trabalhadores Ferroviários- FNTF, para conhecimento e possível divulgação, cópia do e-mail que Hélio Regato enviou aos sindicatos da sua base, pelo qual tece instruções e informações sobre o comportamento nas negociações do Dissídio Coletivo. Por entendermos que se tratava de ação estratégica da FNTF consultamos, à época, ao Hélio Regato sobre a oportunidade de se tornar público de imediato o teor da mensagem. Ele não discordou, mas, deixou ao nosso critério, publicar de imediato ou aguardar melhor oportunidade.

No entanto, o e-mail da FNTF já é de domínio público e se a sua difusão por outras fontes de informação for prejudicial ou não, deixamos que a história assinale. Portanto, abaixo vai o conteúdo recebido em 16 de maio. Todavia ressaltamos o nosso compromisso com a notícia, mas, entendemos também, que neste difícil momento e sob a égide da VALEC Engenharia, nossa algoz, todo cuidado é pouco na proteção da justa e postergada reivindicação, em respeito aos companheiros ferroviários que têm hoje dos seus vencimentos mais de 40% expurgados pela insensibilidade dos últimos governos

Eis a mensagem do presidente da FNTF aos sindi catos da base.

Rio de Janeiro, 15 de maio de 2018.

Senhor Presidente

Estou repassando ao amigo cópia da ata realizada no dia 14/05 no TST. Infelizmente, ocorreu tudo aquilo que se esperava do encontro. Ainda bem que o nosso pessoal não estava presente. No mesmo corpo da ata que estou encaminhando consta uma série de bravuras que cada vez mais, vem aniquilar o ferroviário, principalmente quanto ao expurgo da Comissão Paritária, que inclusive já se encontra com o parecer favorável da Procuradoria. Está marcada para o dia 18, no mesmo local, para continuar discutindo as aberrações que aí já estão contidas. Como na primeira reunião que aconteceu o desmonte total, foi confirmado com nova proposta aos sindicatos na próxima reunião no decorrer desta semana. Solicito ao amigo que compareça para decidir, rigorosamente, em nome do ferroviário, seja ele ativo ou aposentado. Saudações, Hélio Regato”