O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, afirmou na segunda, 27, que indicará “outro técnico” para o posto de diretor-executivo do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), que ficou vago com a saída de Andre Kuhn, escolhido para assumir a presidência da estatal Valec.

Como mostrou mais cedo o Broadcast Político (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado), apesar de ser alvo de interesse do Centrão, prioritariamente do PL de Valdemar Costa Neto, o comando do Dnit deve permanecer blindado de indicações políticas. O cargo fica vago no momento em que o presidente Jair Bolsonaro negocia cargos com lideranças partidárias.

Um dos nomes cotados para assumir a vaga é do atual diretor de Infraestrutura Rodoviária do Dnit, Euclides Bandeira de Souza, conforme mostrou o Broadcast Político mais cedo. Engenheiro como Kuhn, Souza tem pós-graduação em gestão pública e foi superintendente regional do DNIT em Pernambuco, de 2012 a 2015, além de coordenador de engenharia da unidade.

Na publicação, Freitas também confirma que a nova missão do ex-diretor-executivo do Dnit será de liderar a Valec num momento de reestruturação da empresa. Responsável pelo setor de ferrovias, a estatal deve incorporar a Empresa de Planejamento e Logística (EPL).

A medida visa reduzir custos das duas estatais, que dependem de recursos do Orçamento para se manter. Entre 2009 e 2018, a Valec precisou de subvenções do Tesouro da ordem de R$ 22,7 bilhões, e a EPL, de R$ 460 milhões.

Fonte: Isto É, Revista Ferroviária