Medida valerá a partir deste mês e vai afetar segurado que está há mais de 12 meses sem fazer procedimento

RIO – O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) vai suspender aposentadorias e pensões de segurados que estão há mais de 12 meses sem realizar a prova de vida. O bloqueio será feito a partir do benefício de março, que é pago entre o final deste mês e o começo de abril.

Segundo a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), beneficiários que tiverem as aposentadorias e pensões bloqueadas poderão realizar a prova de vida a partir do dia previsto para a liberação do benefício em qualquer agência da instituição financeira onde o pagamento é feito.

— A liberação é feita na hora, após a realização da prova de vida — explica Walter de Faria, diretor adjunto de Operações da Febraban.

Porém, Adriane Bramante, presidente do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP), explica que há casos em que o depósito só é feito alguns dias após a liberação. Por isso, o ideal é ir até os bancos o quanto antes conferir se a prova de vida está atualizada.

— Às vezes, o aposentado ou pensionista acha que fez a atualização cadastral, mas não fez, então, o melhor é ir ao banco verificar, antes que o pagamento seja suspenso.

Após seis meses sem comprovação de vida, depois de decorrido o prazo de um ano, o benefício é cessado definitivamente.

Para fazer a prova de vida, o beneficiário precisa ir até sua agência bancária levando documento com foto. Alguns bancos realizam o procedimento por meio da biometria.

No caso de impossibilidade de o beneficiário ir até a agência, seja por motivo de doença, dificuldade de locomoção ou por morar no exterior, o procedimento poderá ser realizado por um procurador devidamente cadastrado no INSS ou representante legal. Neste caso, o procurador deverá comparecer a uma Agência da Previdência Social (APS), com procuração registrada em cartório, e apresentar comprovante da impossibilidade de locomoção do beneficiário, além dos documentos de identificação do representante.

Fonte: O Globo