Colaboração do advogado Celso Paulo

Comentários de Fernando Abelha

O amor pela ferrovia passa de pai, para filho e netos. Esse documentário bem demonstra que a ferrovia, embora despresada e entregue à própria sorte, com projetos de infraestrutura que não contempla onde começar e como acabar, sem que os governantes acordem para sua importância em um País continental como o nosso,  terá de ser valorizada como o foi no século passado quando cruzava o Brasil com mais de 28 mil quilômetros de linhas a serviço do povo e do desenvolvimento nacional.

Irresponsavelmente, sem um planejamento adequado e fiscalização atuante, tudo foi entregue a empresários que somente buscam os seus lucros pessoais e abandonaram cerca de 18 mil quilômetros de vias. O Brasil e o povo que se danem. Mas, esse amor pela ferrovia é imortal é um verdadeiro estado de espírito. Os ferroviários remanescentes das 26 ferrovias que formaram a RFFSA e a FEPASA, hoje em avançada idade, abandonados e perseguidos, passarão mas, a semente plantada por cada um deles no coração dos seus descendentes é eterna.