Por Fernando Abelha

A propósito da matéria “Estado define futuro da Estação Leopoldina” publicada no blog no último dia 28, recebemos do Eng.  Paulo César de Oliveira, comentário transcrito abaixo:

“Não sei como será. Para esse espaço, foi executado um projeto de ponta idealizado para ser executado por governos que antecederam ao do Bolsonaro, que é o TAV (TREM DE ALTA VELOCIDADE), ligando os Estados do Rio de Janeiro e de São Paulo.

Trem-Bala" entre o Rio e SP deveria começar a funcionar no último dia 30
Divulgação Internet


Como seria interessante uma intervenção sobre o controle dos dois governadores desses Estados para que esse tão sonhado projeto saísse das pranchas de consultorias nas quais foram enterrados.


Eu, particularmente à época do lançamento desse projeto, após ter acesso às pranchas dos trechos, sugeri ao GEIPOT uma alteração no inicial, cujos valores primários versaram em R$ 36 BILHOES e que só em projetos e consultorias, corroeram aproximados R$ 8 BI e nada resolvido.


Em algum lugar dos meus alfarrábios ainda tenho guardado a sugestão posta ao GEIPOT saindo do traçado proposto e utilizando-se da parte central da Via Dutra inclusive beneficiando Cidades ao longo do trecho, e não como iniciado beneficiando apenas empresários ligando os Aeroportos Internacionais de ambos os estados.


E essa estação histórica da Leopoldina e a estação da Luz seriam totalmente revitalizadas e prontas para esse intercambio, mas por participação direta desses estados.

  • governo federal não tem como bancar sozinho, um trabalho de interesse de apenas dois Estados da Federação.

É o caso de saudosistas quererem que a UNIÃO recomponha trens de passageiros ligando todo esse país continental.
A facilidade dos sistemas ferroviários na Europa é porque o maior país de lá é do tamanho de um estado de Minas Gerais por isso tornando-se mais fácil distribuírem recursos entre si.”