Operadores de sistemas de metrô, trem urbano e VLT (veículo leve sobre trilhos) registraram déficit de R$ 933 milhões na receita dos últimos 30 dias, em todo o país, diante da redução de passageiros em função da pandemia de coronavírus. Os valores foram calculados pela ANPTrilhos (Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos).

A entidade, que representa os trabalhadores, participa de videoconferências com representantes do governo federal para pedir apoio no funcionamento dos sistemas. As tratativas vêm sendo feitas junto aos ministérios da Economia e Infraestrutura, Desenvolvimento Regional, Secretaria Especial do Programa de Parcerias de Investimentos (SPPI) e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

A ANPTrilhos apresentou as seguintes medidas ao governo federal:

Linha de crédito para fazer frente ao capital de giro das empresas do setor;

Aprovação célere dos projetos de investimento para fins do financiamento por meio de debêntures incentivadas;

Redução dos encargos setoriais devido ao status de calamidade;

Isenção de ICMS sobre energia elétrica para o setor;

Diferimento no pagamento de tributos federais;

Redução de custos previdenciários;

Reabertura do prazo para a opção pelo regime da contribuição substitutiva à contribuição previdenciária sobre folha de salários.;

“Tendo em vista a queda sem precedentes na demanda e a manutenção dos serviços nesses 30 dias, algumas empresas já sentem uma enorme dificuldade para cumprimento de suas obrigações, estando muito próximas da necessidade de paralisação de suas atividades, por absoluta falta de recursos”, afirmou o presidente do conselho da ANPTrilhos, Joubert Flores, por meio de nota.

Fonte: Revista Ferroviária, Internet