Pesquisa e edição jornalista Luis Fernando Salles

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados promove hoje uma mesa redonda para debater os efeitos e consequências da inclusão da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), no programa de privatizações do governo federal.

O requerimento foi apresentado pelos deputados Rogério Correia (PT-MG), Diego Andrade (PSD-MG) e Bohn Gass (PT-RS). Eles argumentam que o governo federal incluiu no programa de privatizações a CBTU e a Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre (Trensurb), com leilão previsto para 2022.

Subsídios públicos
“Como parte do pacote da entrega ao setor privado, a CBTU colocou em curso aumentos que variam de 150% a 250% em menos de um ano nas tarifas administradas pela empresa. Sabemos que o transporte metroviário necessita de grandes investimentos para ampliar a malha e melhorar a mobilidade nas cidades brasileiras, em todos os países desenvolvidos esse serviço recebe subsídios públicos, portanto privatizar esses serviços poderá representar o sucateamento do que temos nas cidades atendidas por essas empresas”, observaram os deputados.

Foram convidados para o debate:


– o presidente da CBTU, José Marques de Lima;
– o presidente da Federação Nacional dos Metroferroviários, Celso Trapaga Borba; e
– o presidente do Sindicato dos Empregados em Empresas de Transportes Metroviários e Conexos de Minas Gerais, Romeu Machado Neto.

Fonte: Boletim da Câmara dos Deputados