Eng. Geraldo de Castro. CODEL 32

Esses são os bravos ferroviários, hoje abandonados e de pires nas mãos