Por Fernando Abelha

Informações colhidas, ontem,  com Hélio Regato, presidente da Federação Nacional dos Trabalhadores Ferroviários – FNTF, dão conta que na reunião de hoje entre os sindicatos da base e representantes da VALEC – Engenharia, a FNTF não abrirá mão da correção plena de 1,78% referente a inflação de maio de 2017 a maio de 2018. Da mesma forma – acrescentou – as perdas salariais reconhecidas pela Comissão Paritária de 2014, em torno de 40% é um direito de fato da categoria.

Hélio Regato lembrou que na primeira rodada de negociações, a VALEC negou-se a atender a integridade das clausulas econômicas do Acordo Coletivo do Trabalho, oferecendo, apenas, 40% da inflação plena de 1,78% o que foi rejeitado pelos sindicatos presentes. Disse que deslocou para essa reunião a quase totalidade dos sindicatos da base, representando a maioria dos Estados da Federação, com a orientação de não abrir mão dos direitos da categoria. Se necessário retornará ao Tribunal Superior do Trabalho – TST com novo Dissídio Coletivo.