Pesquisa por Fernando Abelha

O Infraprev, fundo de pensão dos trabalhadores em aeroportos, implantou o projeto força-tarefa para apurar a responsabilidade sobre as perdas que alguns investimentos sofreram nos últimos anos. Os principais objetos de investigação dessa força-tarefa serão os fundos de investimento e participações (FIPs) Multiner e GEP, cujos investimentos foram realizados entre 2008 e 2010.

De acordo com a diretora-superintendente, Claudia Avidos, os investimentos começaram a contabilizar prejuízo em 2-16, e com a entrada da nova diretoria da entidade, em julho de 2017, foi feito o desenho, junto ao Conselho Deliberativo, do projeto que tem como objetivo verificar se há alguma forma de responsabilização por essas perdas.

Claudia explica que o projeto funcionará em etapas. “A primeira é a de diligência dos investimentos, que será comandada pela com a FGV Projetos. A partir do relatório dessa primeira etapa, teremos Comissões Técnicas de Apuração (CTAs) analisando o relatório e verificando a possibilidade de responsabilização”. Todo o trabalho será realizado com assessoria jurídica do escritório Jacoby Fernandes & Reolon Advogados Associados, que enviará o parecer consultivo ao conselho deliberativo da entidade.

A executiva diz ainda que as CTAs serão compostas por 13 profissionais, selecionados no mercado por meio de um edital, e que se dividirão em pequenos grupos para fazer as apurações. “Fizemos a seleção em meio a 25 candidatos, todos com experiência comprovada em processos de apuração de responsabilidade”, destaca Claudia. O trabalho da força-tarefa tem duração prevista de 180 dias e todos os profissionais envolvidos trabalharão especificamente nesse projeto, de maneira temporária. O resultado das apurações será encaminhado ao Ministério Público e à Polícia Federal.

Fonte: Agência Investidor Online