Por Fernando Abelha

A segunda parcela do 13º de aposentados, pensionistas e demais beneficiários do INSS será depositada entre os dias 24 de novembro e 7 de dezembro, conforme decreto publicado no “Diário Oficial da União” em 25 de julho. A primeira parcela da gratificação já caiu na conta dos segurados entre agosto e setembro.

As datas foram confirmadas na segunda-feira da semana passada, pelo Ministério da Previdência. O calendário começará a ser cumprido, portanto, dentro de três semanas.

O dinheiro extra começa a ser depositado antes para os segurados que recebem um benefício de até um salário mínimo (R$ 880, neste ano).

As parcelas cairão na conta do segurado com o benefício mensal, acompanhando o calendário de pagamentos deste mês. O dia exato do depósito varia com o último número do cartão, sem considerar o dígito.

O valor da primeira parcela paga em agosto correspondia exatamente à metade do benefício mensal.

Mas o dinheiro a ser recebido a partir do dia 24 será um pouco menor para segurados com renda acima de R$ 1.903,98.

Na segunda parcela há o desconto do Imposto de Renda – ele é calculado sobre o valor total do 13º.

Aposentados e pensionistas com 65 anos ou mais que recebem até R$ 3.807,96 são isentos.

Tem direito ao abono quem, durante o ano, recebeu benefício previdenciário como aposentadoria, pensão por morte, auxílio-doença, auxílio-acidente, auxílio-reclusão ou salário-maternidade. No caso de auxílio doença e de salário-maternidade, o valor será proporcional ao período recebido.

O pagamento vai para conta

  • O 13º salário é creditado de forma direta na conta do beneficiário.
  • O dinheiro extra começa a ser depositado antes para os segurados que recebem um benefício de até um salário mínimo (R$ 880, neste ano). Os demais terão a quantia depositada a seguir.
  • As parcelas cairão na conta do segurado com o benefício mensal, acompanhando o calendário de pagamentos deste mês. A ordem é a mesma do pagamento do benefício regular.
  • O dia exato do depósito do 13º salário, como os demais rendimentos, varia com de acordo com o último número do cartão, sem considerar o dígito.

Fonte AssPreviSite