Pelo engenheiro Jorge Luiz Ribeiro da Costa, diretor da Associação de Engenheiros da Estrada de Ferro Lopoldina – Juiz de Fora – MG
Como diria Sherlock Holmes: Elementar meu caro Fernando. O lobby dos rodoviários é muito superior a dos ferroviários. Começa nas fábricas e montadoras dos veículos rodoviários, conseguindo até isencoes vultuosas de impostos. Conta a lenda que carretas não passam em balanças acarretando cargas por eixo acima do limite projetado nas rodovias. Daí depressões, buracos e imperfeições no pavimento asfáltico. Conta a lenda que uma única Nota Fiscal de mercadoria proporciona muitas outras viagens sem pagamento de impostos.
As concessionárias das linhas férreas da RFFSA cuidam apenas das extensões que fazem parte de suas linhas de produção. Elas ganham muito dinheiro na comercialização dos produtos que lhes pertencem. Quem mais apontam esses erros são aqueles que trabalharam na RFFSA, daí ter Lula encerrado as atividades da empresa. Quem mais poderia fiscalizar a não ser os especialistas que ficaram sem a empresa que muito se modernizou ao longo dos anos? Muita racionalização nos serviços. Reduções de quadros de pessoal. Aumento de produtividade considerável e a procura de atendimento em todo o Brasil quer no transporte de cargas como de passageiros. Vila Inhomirim, Magé, Guapimirim eram mantidos por um Distrito de Transportes e uma Residência de Conservação de Linha. Não tínhamos tração e nem carros de passageiros. Enfim vamos torcer que políticos sérios acordem para essa realidade atual muito distorcidas da necessidade do Brasil.