1. Os estudos realizados, patrocinados pelo governo do Estado de São Paulo, foram direcionados a uma única alternativa, que depende da renovação antecipada do contrato da MRS, por conta do governo federal, que tem demonstrado desinteresse
    político em favorecer o governador João Dória.
  1. Liberalismo tem origem na palavra liberdade. Um governo de postura econômica liberal deve dar liberdade aos licitantes para apresentarem inovações tecnológicas não previstas nos estudos, direcionados a uma única alternativa técnica. A licitação como está corre o risco de ser anulada, acusada de direcionamento tecnológico, ignorando as tendências mais modernas da mobilidade e na defesa das mudanças climáticas.
  1. A implantação de uma linha para os trens de carga, para segregar o transporte de mercadoria do transporte de passageiros, implica em desapropriações, remoção e alocação de dutos de água, esgoto, energia e comunicação. Além de depender da
    autorização do governo federal. Nossa proposta evita tais investimentos e dá total autonomia ao Estado de São Paulo de promover a licitação nas linhas do próprio estado, independente da renovação antecipada do contrato da MRS.
  1. A Sugestão tem enfoque AMBIENTAL e consiste na implantação de uma via elevada sobre as atuais linhas da CPTM e da Rumo Logística, para trens de passageiros com a tecnologia VLT – Veículo Leve sobre Trilhos de característica
    interurbana, com dezenas de fabricantes, portanto de propostas, inclusive brasileiros, capazes de atender à demanda prevista no tempo de viagem estimado pelos estudos.
  1. Esta via elevada, em treliça do tipo Pratt (ou outra julgada mais recomendada para determinados trechos) será coberta de painéis solares, direcionáveis, com rendimento mínimo de 1,25 kWh/m2/dia.
  1. Nos aproximadamente 100 km entre Barra Funda e Campinas, à taxa de 24 m2/metro linear (que a faixa de domínio na média comporta) a produção de energia anual gira em torno de 1.500 GWh. É superior à maior Usina Solar brasileira,
    localizada 500km ao sul da cidade de Teresina (PI), com uma diferença fundamental: é urbana, economizando em torno de 15% no transporte da energia e reduções de custo de distribuição, pois é gerada nas proximidades dos locais de consumo.
  1. Os VLT que correrão no interior das treliças podem evoluir para trens de levitação eletromagnética, aproveitando a mesma via permanente e posicionando o Estado de São Paulo na vanguarda da tecnologia em termos mundiais.
  1. No interior da treliça existe uma Infovia dupla, aproveitando o espaço inferior da saída de emergência exigida por norma, que aumenta a custo marginal a rede de Internet de alta velocidade ao longo da zona de influência do TIC, consistindo no
    primeiro caso concreto de grande demanda da “Internet das coisas” no Brasil, como preconiza a tecnologia 5G.
  1. O tempo de implantação, os investimentos e os custos operacionais podem ser reduzidos no mínimo à metade, em relação à proposta direcionada pelo estudo realizado. Os valores exatos serão objeto das propostas da Concorrência Internacional, caso haja liberdade para que os licitantes apresentem inovações tecnológicas.
  1. A decisão sobre inovações é mais política do que técnica, ainda mais no setor ferroviário, excessivamente conservador, como os estudos de referência do TIC indicam. Estas sugestões devem ser encaradas como uma desinteressada e singela contribuição para a população e os contribuintes do Estado de São Paulo, a ser implantada por seus governantes, com base no moderno conceito do “Infra Upcycling”.

Salamanca, 15 de outubro de 2021
Eduardo David
eduardogdavid@gmail.com