O Plano Estratégico Ferroviário de Minas Gerais (PEF), apresentado pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra), deverá investir em 10 projetos no Sul de Minas para implantação e operação de uma nova estrutura ferroviária em Minas Gerais. Quatro deles terão prioridade para investimento conforme critérios do plano.

As propostas que fazem parte do plano foram apresentadas em fevereiro em um workshop promovido pela secretaria. Ao todo, foram apresentadas 60 propostas que envolvem o transporte ferroviário regional de passageiros, o transporte de cargas, o transporte turístico, contornos e trechos urbanos e plataformas logísticas em todo o Estado.

As propostas foram elencadas conforme o Modelo AHP (Analytic Hierarchy Process) para análise preliminar. Esse modelo é usado em todo o mundo para a hierarquização de projetos conforme critérios de prioridade, como previsão de implantação, demanda potencial e complexidade.

Entre as propostas que terão prioridade no Sul de Minas estão a implantação de linhas de transporte regional de passageiros entre Divinópolis e Lavras, e entre Lavras/Três Corações/Varginha.

Ainda consta na lista de prioridades a implantação do trem turístico de passageiros entre São Sebastião do Rio Verde e Passa Quatro e a integração do Porto Seco do Sul de Minas, em Varginha ao ramal Varginha/Três Corações, da Ferrovia Centro Atlântica.

Confira abaixo os projetos do Sul de Minas que constam no plano ferroviário e seu ranking de prioridade:

Ferrovia para transporte de cargas:

Reativação da ferrovia entre Itaú de Minas, São Sebastião do Paraíso e Ribeirão Preto (SP) – 7º no ranking

Transporte regional de passageiros:

Linha Divinópolis/Lavras – 1º no rankingLinha Lavras/Três Corações/Varginha – 1º no rankingLinha Varginha/Três Corações/Soledade Cruzeiro (SP) – 4º no rankingLinha Poços de Caldas/Aguaí/Campinas (SP) – 7º no ranking

Trens turísticos de passageiros:

Linha São Sebastião do Rio Verde a Passa Quatro – 1º no rankingLinha Jacutinga (entre bairros Sapucaí e Mons. Dutra) – 4º no rankingLinha Perdões a Lavras e Carrancas – 5º no rankingLinha Poços de Caldas a Águas da Prata (SP) – 6º no ranking

Terminais multimodais de cargas:

Integração do Porto Seco do Sul de Minas, em Varginha, ao ramal Varginha/Três Corações da FCA – 1º no ranking

O PEF é patrocinado pela Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF) e os estudos estão sendo elaborados pela Fundação Dom Cabral (FDC). Segundo a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade, estão previstos outros sete encontros para apresentação e acompanhamento das próximas etapas dos estudos. Ainda não há previsão de quando os projetos possam sair do papel.

As obras para reativar o trem entre São Sebastião do Rio Verde (MG) e São Lourenço (MG) foram retomadas após precisarem ser paralisadas devido ao período chuvoso. Segundo a prefeitura, cerca de 80% da obra já estão concluídos. O trecho que vai ser restaurado até a cidade de São Lourenço tem 20 quilômetros. A reforma dos trilhos começou em novembro de 2018.

Os recursos da revitalização da ferrovia vêm de um convênio de R$ 7,5 milhões entre a Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais e a Prefeitura de São Sebastião do Rio Verde. A cidade ainda deve arcar com R$ 343 mil. O acordo foi assinado em julho de 2018 e as obras começaram cinco meses depois.

Depois das reformas dos trilhos, cujo término estava previsto para dezembro do ano passado, a prefeitura ainda vai precisar fazer a licitação para escolher a empresa concessionária que vai operar a Maria Fumaça.

Fontes: G1; Revista Ferroviária