Por Paulo Leite, candidato 36 ao Conselho Deliberativo

Diversos caminhos, atalhos, desvios e apelos têm sido percorridos e feitos na tentativa de sensibilizar diversos níveis de decisão nas instâncias superiores do País para tirar de uma situação constrangedora aos trabalhadores ferroviários, praticamente abandonados com seus salários e pensões congelados desde 2017.

Cartas, Memoriais e Abaixo Assinados muito bem elaborados são endereçados e recebidos por Autoridades, mas sem que objetivamente venham a desaguar em efetivas providências para que se resolvam pendências que ano após ano se arrastam pelos corredores de Brasília – DF.

Protestar, reclamar da falta de sensibilidade de uma Empresa (VALEC) que não se sabe ao que veio e para onde vai e ainda em dúvida se será mantida no cronograma governamental, não será de bom alvitre abdicar embora reconheçamos já bastante desgastante e porque não dizer esgotado.

A União em torno de nossas Associações e Sindicatos aliados a Federação (FNTF) e ao corpo a corpo que sugerimos em matéria recentemente publicada continuarão sendo nossa voz na esperança de que tenhamos o reconhecimento que a Classe Ferroviária merece.

Por outro lado, não podemos esquecer da nossa REFER que galhardamente vem enfrentando dificuldades, parcialmente sanadas, mas ainda com a falta do aporte financeiro contratado com a CBTU, não deixa de cumprir com seus compromissos reajustando as suplementações e pensões devidas como agora o faz a partir de primeiro de maio de 2019.

A Gestão Eficiente de nossa Fundação é  importante para compensar aos Assistidos e Pensionistas, a insensibilidade demonstrada com a grande maioria dos Ferroviários.

As Eleições em curso para os Conselhos Deliberativo e Fiscal será oportunidade para a manifestação da confiança de que o seu escolhido honrará o seu voto com participação efetiva em decisões que engrandeçam a REFER.

PAULO LEITE

Candidato 36 ao Conselho Deliberativo REFER