Nos próximos dias, os ônibus vão deixar de circular por parte do Centro do Rio. Acordo do prefeito Marcelo Crivella com as viações deslocará pontos finais para a Rodoviária Novo Rio e para o entorno da Central do Brasil. O objetivo da medida é aumentar o volume de passageiros no VLT, cuja Linha 3 será inaugurada ainda este mês, embora já circule em caráter experimental.

Cálculos apontaram que o VLT é deficitário: por dia, apenas 60 mil passageiros andam nos bondes modernos. A estimativa, quando a rede foi lançada, era levar 265 mil pessoas – quatro vezes mais. No contrato, cabe à prefeitura cobrir essa diferença.

A prefeitura ainda vai detalhar o cronograma da retirada dos ônibus e vai definir os novos itinerários. Crivella não esclareceu se as linhas que vêm da Zona Sul vão sofrer alterações.

Para compensar a restrição de ônibus, a Linha 3 do VLT enfim vai funcionar, inaugurando o eixo da Avenida Marechal Floriano (paralela à Presidente Vargas). Três estações serão abertas: Cristiano Ottoni/Pequena África; Camerino/Rosas Negras; Santa Rita/Pretos Novos. Como a Linha 3 pega trechos das linhas 1 (no corredor da Rio Branco) e 2 (próximo à Central), o intervalo entre as partidas vai diminuir.

Fontes: GI, Revista Ferroviária