Por Fernando Abelha
Recebemos do presidente da Associação dos Aposentados da RFFSA, líder ferroviário Nelson Fernandes Cruz, o texto inserido abaixo que lhe fora enviado pela Associação dos Engenheiros Ferroviários: AENFER.
Eis o texto que conta com o total apoio de Nelson Cruz, em nome de aposentados e pensionistas da RFFSA. Este mesmo pronunciamento nos foi, também, encaminhado pela engª Izabel Cristina Junqueira, presidente da AENFER:
 
“Tomamos conhecimento de mais uma artimanha da Valec no sentido de prejudicar, mais uma vez, a categoria ferroviária, manobrando nos bastidores para adiar o julgamento do nosso dissídio coletivo 2017/2018, cuja audiência já estava marcada para o dia 14/05, que pasmem, foi postergada para o dia 11/06, sob o pretexto de novas negociações.
Ora, uma empresa que nunca quis negociar, desde maio de 2017, oferecendo sempre um índice de reajuste de 0%, vem agora, às vésperas da audiência, propor reabrir negociações. 
 
Causa-nos estranheza que com o dissídio suspenso aconteça uma reunião de mediação entre a VALEC e os sindicatos ligados a FNIST no TST no mesmo dia cancelada audiência, com contraproposta danosa à categoria ferroviária.
 
Permitimo-nos relembrar que em 2002 aconteceu algo assemelhado, quando assinaram com os liquidantes da extinta RFFSA o famigerado acordo aceitando o percentual de reajuste de 9%, embora já tivéssemos uma sinalização na casa de mais de 20%, o que levou a intensa batalha no TST que resultou num reajuste de 14%.
 
Aguardamos atitudes firmes da FNTF e dos seus sindicatos na defesa  intransigente dos nossos direitos.
 
Gostaríamos de registrar que a VALEC, a partir de maio de 2014, vem se utilizando do orçamento executado da folha de pagamento dos empregados da extinta RFFSA para atender as promoções e ascensões dos empregados do seu quadro próprio. 
 
Igualmente, a expectativa da AENFER é a de que os Ministros do TST reconheçam a extrema situação de dificuldade da categoria e nos devolvam o que nos é de direito.
 
A Diretoria”
Fonte: Site da AARFFSA