Pesquisa e edição por Luis Fernando Salles

Para os poucos ferroviários e metroviários que ainda conseguem pagar um plano de saúde, ai vai uma notícia que poderá se concretizar. Dependerá, apenas, do Congresso Nacional:

Após pressão das entidades de defesa do consumidor, o deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), relator do projeto que modifica a Lei dos Planos de Saúde, retirou o artigo que permitia reajuste de mensalidade depois dos 60 anos. Atualmente, esse aumento não é permitido na legislação. Marinho havia proposto que o reajuste fosse escalonado em cinco parcelas a partir dos 60 anos. A proposta, que contava com o apoio do ministro da Saúde, Ricardo Barros, estabelecia que o valor da última faixa de aumento por idade fosse, no máximo, seis vezes maior do que a mensalidade paga pela faixa etária mais jovem.
Para entidades de defesa do consumidor, essa alteração seria uma flexibilização do Estatuto do Idoso e não protegeria o usuário do plano de saúde de outros aumentos. Já as operadoras alegam que perderão receita imediata.

Fonte: Internet