Por Fernando Abelha

Era novembro de 1987. O então governador Alvaro Dias anunciou a criação da Ferroeste, uma empresa que iria construir a “ferrovia da produção”. Os jornais publicaram um mapa, com o traçado planejado: do interior do Mato Grosso do Sul até Paranaguá, sob medida para escoar a safra agrícola. Do projeto original, só metade foi construída – 250 km de trilhos ligando Cascavel a Guarapuava. O restante virou promessa que nunca saiu do papel. Chegamos a novembro de 2017. A Ferroeste começa a fazer uma série de audiências públicas para relançar toda a obra, a um custo estimado de R$ 10 bilhões. Mas será que desta vez é para valer?

Fontes: Gazeta do Povo, Internet