Pesquisa e edição por Luis Fernando Salles

O objetivo dos planos de saúde com aumentos absurdos é dificultar a permanência de idosos, excluindo-os do sistema. Esta perversidade ganha força como medida contrária ao projeto da Lei dos Planos de Saúde, deputado Rogério Marinho (PSDB-RN) de acabar com a proibição de aumento de mensalidades após os 60 anos.

Como exemplo é do nosso conhecimento que a Unimed Nordeste, de abrangência nacional, chocou seus clientes idosos de juma empresa de Brasília, ao reajustar suas mensalidades em mais de 40%. Instada a explicar isso, a Unimed enrolou, enrolou, e não respondeu.

A Agência Nacional de Saúde (ANS) por sua vez lavou as mãos ao afirmar que “é livre o reajuste de planos empresariais”.

O relator da Lei dos Planos avalia a crueldade de eliminar do Estatuto do Idoso a regra que proíbe cobrança discriminada em razão da idade.

A ANS autorizou reajuste de 13,5% nas mensalidades dos planos individuais, em extinção, apesar da inflação de 3% prevista para 2017.

O relator da reforma da Lei de Planos pretende apresentar o texto final no início de novembro. Só as empresas devem esperar boas notícias.

Fonte: Cláudio Humberto – Folha de Londrina