Comentários de Fernando Abelha

Colaboração de Silvio Ferreira 

Enquanto que no Brasil a malha ferroviária com 27 mil quilômetros de linhas, foi entregue à iniciativa privada que opera hoje apenas cerca de 8 mil quilômetros, abandonando o restante ao relento, sem que as concessionárias sejam incomodadas por tamanho absurdo, na nossa vizinha Argentina a empresa estatal Trenes Argentinos Cargas acaba de inaugurar um novo Centro de Controle de Tráfego que lhe permite monitorar, em tempo real, o posicionamento dos trens e sua velocidade ao longo de 9 mil quilômetros de vias, bem como a autorizar a circulação e ativar a frenagem automática das composições em caso de emergência.

O projeto faz parte da política de modernização da malha férrea argentina e contou com investimentos da ordem de 128 milhões de pesos argentinos (ou cerca de 8,2 milhões de dólares). O desenvolvimento e implantação foram conduzidos pela Trenes Argentinos Cargas com tecnologia da empresa brasileira ART – ART Rail Technology. Para conquistar o contrato, a ART saiu vencedora de uma licitação internacional envolvendo alguns dos maiores players globais do setor de tecnologia ferroviária.

Benefícios da incorporação da tecnologia

-Maior segurança, com menos risco de acidentes e descarrilamentos;

-Serviço de transporte de cartas mais eficiente, com menos custos e maior capacidade de planejamento;

O Novo Sistema em Números

  • 9000 quilômetros de vias
  • 200 locomotivas equipadas
  • 1300 trabalhadores beneficiados
  • 128 milhões de pesos argentinos em investimento (equivalente a cerca de US$ 8,2 milhões)

Sobre a ART – Alta Rail Technology 

A ART – ALTA RAIL TECHNOLOGY desenvolve soluções personalizadas para o negócio ferroviário. É lastreada pelo Darby Private Equity, o braço de private equity da Franklin Templeton Investments com presença no terreno na Ásia, Europa Central e América Latina. A ART tem mais de 17 anos de experiência servindo a ferrovias de classe mundial. E conta com parcerias com outros fornecedores líderes da indústria, como GE Transportation®, Siemens®, Lockhead Martin® e Bombardier®.

Fonte Internet.