Esta é uma triste realidade imposta ao modal ferroviário, comparativamente com o transporte de passageiros e cargas dos países vizinhos. Veja no vídeo abaixo o que é oferecido ao povo e turistas peruanos..

No Brasil, após a desmobilização da Rede Ferroviária Federal/SA – RFFSA as concessões abandonaram o transporte de passageiros de médio e longo percurso ao desativarem importantes ligações entre Rio, São Paulo, Belo Horizonte, Campos de Goytacazes, Vitória, por todo Nordeste, pelo Tronco Sul, chegando às fronteiras do Uruguai, da Argentina e da Bolívia, esta última através da linha ferroviária que partia da cidade de Bauru-SP com destino a Santa Cruz de la Sierra.

Esta vergonha nacional privilegiou o transporte rodoviário nas duas últimas décadas com a transferência de passageiros, produtos agrícolas e carga geral para as rodovias. A partir daí, em face de altas tarifas rodoviárias, produtos essenciais agrícolas e industriais foram onerados em seus preços para população,  além de ampliar as trágicas estatísticas dos acidentes rodoviários. Pergunta-se: quem responderá por tantos desmandos ?

É importante lembrar que, em vários momentos, o presidente Michel Temer sustenta “ser necessário colocar o Brasil nos trilhos”. Para tanto, será indispensável dar maior atenção aos ferroviários e ao modal ferroviário do pouco que restou, hoje criminosamente operado pela inciativa privada em proveito próprio, e em detrimento dos interesses da população brasileira.