O presidente da Rumo Logística, Júlio Fontana Neto, afirmou  que o setor ferroviário não sofreu grandes impactos com o envolvimento das principais construtoras do País na Lava Jato, uma vez que tais empresas já não participavam de maneira relevante do segmento.”Desde o início das concessões, a rede de ferrovias vinha definhando, perdemos expertise ferroviária no Brasil”, disse Fontana, durante participação no Construbusiness, congresso sobre construção e infraestrutura organizado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Segundo o executivo, nos últimos anos, o setor acostumou-se a trabalhar com pequenas e médias construtoras. “As grandes empresas já não tinham apetite por obras ferroviárias”, afirmou. “Esse tipo de problema (ligado à Lava Jato) não nos afetou”.
Fonte: Revista Ferroviária