Comentários por Fernando Abelha

É pelo menos estranho o tratamento que o Ministério dos Transportes e a Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT dispensam às ferrovias concedidas. Faltam planejamento e fiscalização. Senão vejamos: apenas em 2015 o governo federal investiu em torno de 19 bilhões de reais somente em investimentos públicos. O transporte por ferrovia atingiu a marca de 485,4 milhões de toneladas úteis (TU) no ano, muito aquém do esperado nas previsões governamentais, para todas as ferrovias concedidas. Daí ser flagrante a imediata necessidade de mudar a filosofia administrativa e operacional deste importante modal. É nosso entendimento que a solução está em construir novos contratos, utilizando-se a modalidade da Parceria Pública Privada – PPP, em que o governo também participa da gestão ferroviária, concomitantemente, com a iniciativa privada. É sabido que para este modelo existem interesses de empresas internacionais da Ásia e Europa e EEUU, de vez que para eles não se trata de novidade.

Brasil investiu R$ 26,6 bi

em infraestrutura

de transporte em 2015

Os investimentos em infraestrutura no País somaram R$ 26,6 bilhões no ano passado, entre recursos do setor público e privados relativos aos contratos de concessão, informa o Caderno de Transportes 2015. O balanço de atividades de 2015 publicado pelo Ministério dos Transportes, demonstra os avanços dos investimentos no período.

De 2012 a 2013, especificamente, os investimentos do Ministério dos Transportes subiram de R$ 15,5 bilhões para 16,3 bilhões. Destaque para a duplicação de investimentos em ferrovias, em relação ao ano anterior: de R$ 1,04 bilhão para R$ 2,5 bilhões.

Entre 2011 e 2014, foram concluídos 913,7 quilômetros de ferrovias. A expansão da malha ferroviária, fundamental para a cadeia logística do País, registrou em 2013 a execução de trechos da Ferrovia Norte-Sul com investimentos de R$ 6,04 bilhões. Outros R$ 4,23 bilhões foram investidos na Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol) e mais R$ R$ 7,53 bilhões na construção da Nova Transnordestina.

No ano passado, houve o investimento pelas concessionárias de R$ 7.658 milhões. O transporte por ferrovia atingiu a marca de 485,4 milhões de toneladas úteis (TU) no ano.   Pelo Programa de Aceleração do Crescimento, destacaram-se as execuções de 15% da Ferrovia Norte Sul (FNS) – Extensão Sul, trecho Ouro Verde/GO – Estrela d’Oeste/SP (682,0 km); 15% da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), trecho Ilhéus/BA – Caetité/BA (537 km) e mais 8% da FIOL no trecho Caetité/BA – Barreiras/BA (485 km). A Ferrovia Nova Transnordestina registrou avanços em sua execução: foram lançados 599,5 km de superestrutura.

Fonte: Portal Brasil