Comentários de Fernando Abelha

O abandono de estações – preservadas ou não – depósitos, residências de linha, oficinas, material rodante, trilhos, fazendas de tratamento de dormentes e muito mais, ao longo das ferrovias que constituíam a abatida RFFSA, é um modelo flagrante da falta de planejamento histórico dos nossos governos na preservação dos bens públicos, ao conceder as linhas da estatal à iniciativa privada.

Confira abaixo notícia da Revista Ferroviária.

No Estado do Mato Grosso do Sul o Ministério Público Estadual (MPE-MS) instaurou inquérito, para apurar a “ausência de conservação e manutenção da Estação Ferroviária de Campo Grande”, considerada patrimônio da cidade, já tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). A 26ª Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio ressaltou que notícias de abandono motivaram o poder público a tomar este procedimento.

Por sua vez, a assessoria de imprensa da prefeitura não soube informar o posicionamento do poder municipal sobre o inquérito.