«O transporte ferroviário de carga neste período de pandemia, assume papel especial no atual estado de alarme», defende a  empresa espanhola Transfesa Logistics, lembrando que este meio de transporte de cargas «tornou-se uma maneira essencial de mobilizar necessidades básicas e equipamentos sanitários para a população (itens alimentares, medicamentos, material de proteção, camas e equipamentos para hospitais e instalações de campo, etc.)».

«As inúmeras vantagens de capacidade, segurança e eficiência fazem dele uma opção altamente adequada quando confrontada com as procuras de grandes cargas, com rapidez e segurança», explica a empresa logística. «Numa única unidade, empresas como a Transfesa Logistics são capazes de transportar 33 contentores, com cerca de 660 toneladas líquidas de alimentos, em rotas nacionais», detalhou.

Com este tipo de operação, mais de 30 caminhões são eliminados das estradas (no caso de Espanha), explica a empresa, lembrando ainda que, no «contexto excepcional» em que vivemos, «a confiabilidade das previsões e dos horários de chegada» deste tipo de transporte «também aumenta». «Sob condições normais, o nível de conformidade horária é de 96%. Agora, devido à diminuição do tráfego de passageiros, a pontualidade é de cerca de 100%», sendo de destacar o menor congestionamento dos trilhos e a maior agilidade do tráfego ferroviário.

«Em relação ao tráfego internacional, a ferrovia também é uma alternativa muito adequada para emergências de saúde. Nas conexões ferroviárias entre diferentes países, um valor agregado é sua eficiência em termos de tempo e recursos humanos. Quando um único mecânico passa em frente aos 40 camiões necessários para transportar a mesma mercadoria, os recursos e procedimentos associados a essas operações são reduzidos. A tudo isso, devemos acrescentar benefícios adicionais, como a sustentabilidade, pois é o meio mais ecológico», rematou a Transfesa Logistics.

Fonte: Revista Cargo