Pesquisa e edição por Luis Fernando Salles

O Conselho do PPI (Programa de Parceria de Investimentos) aprovou, no último dia 19, a inclusão de mais estatais na lista de desestatização e concessões do governo, como terminais portuários, um parque nacional e a BR-158. Com os novos projetos, o programa deve fechar o primeiro ano sob a gestão Jair Bolsonaro com 35 concessões e investimentos de cerca de R$ 442 bilhões envolvendo várias seguimentos, entre portos, rodovias, aeroportos e ferrovias.

Decisões do PPI relacionadas a concessões também serão encaminhadas ao presidente da República para assinatura de atos ou decretos com mais rapidez. Para destravar projetos emperrados em empresas como Trensurb e CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos), cujos serviços de mobilidade urbana são prestados pelos estados, o PPI decidiu promover a cisão das empresas para permitir que somente a prestação do serviço de transporte por trens seja concedido para a iniciativa privada. Desde a gestão do ex-presidente Michel Temer (MDB) esses projetos estão no cardápio do PPI e, até hoje, não foi possível resolver o impasse. Com essas medidas, será possível ganhar, pelo menos, seis meses no processo de desestatização e concessão que, atualmente, leva, em média, um ano e meio.

Fontes: Folha de S. Paulo e Revista Ferroviária