Por Paulo Leite, ex-diretor financeiro da Fundação REFER

Como é do conhecimento de todos, o Estatuto da Fundação REFER estabelece a participação no assento dos Conselhos, Deliberativo e Fiscal, de participantes escolhidos em ELEICÃO por voto direto.

Assim, estamos às vésperas de uma nova eleição que será realizada no período junho/agosto 2019, para renovação parcial dos Conselhos sendo uma vaga para cada Conselho, com mandato de quatro anos.

Reveste-se de maior importância essa convocação de todos os ferroviários e metroviários eleitores, para participação nesse processo eleitoral, uma vez que após a experiência bastante contestada do método utilizado em eleição anterior, voltaremos a encaminhar nossa escolha por CEDULA ELEITORAL DE PAPEL, com apuração por sistema eletrônico de leitura ótica na sede da REFER, sob a fiscalização de candidatos e fiscais.

Neste sentido, é que nos dirigimos a Você Participante solicitando sua reflexão a respeito da importância da REFER em sua vida, para tanto sendo criterioso na escolha do candidato que considerar o mais capacitado para defender seus interesses.

Por sua vez, é importante ressaltar o fato histórico referente à autorização a então RFFSA, para a criação de uma Entidade de Previdência Complementar, com finalidade precípua de garantir aos ferroviários participantes, maior tranquilidade ao completar sua etapa laboral, tarefa que requer demonstração inequívoca de que há efetivo interesse de seu público alvo em aceitar e acreditar nos fins propostos. O grau de dificuldade aumenta quando se trata de Entidade cuja origem de sua patrocinadora é pública, como no caso presente da FUNDAÇÃO REDE FERROVIÁRIA DE SEGURIDADE SOCIAL.

No caso da REFER as demonstrações de sua viabilidade e desejo da classe ferroviária trabalhadora, alvo em participar, demandaram alguns anos, culminando com o convencimento do Governo Federal para sua aprovação. Não exageramos ao consignar três anos entre a maturação do desejo e efetiva instalação.

Assim chegamos ao QUADRAGÉSIMO ANO da Fundação REFER, graças a garra inerente dos ferroviários que, apesar de sobressaltos com origem em seu comando diretivo e no inadimplemento de suas patrocinadoras, não deixaram de continuar a prestigiar e acreditar na Fundação.

Felizmente, a incerteza para o recebimento dos valores contratuais a cargo da patrocinadora RFFSA foi equacionada. Quanto a dívida também bilionária da patrocinadora CBTU, tem a perspectiva de ser sanada em breve, resolvendo, também, os problemas da CPTM, e das demais STUs ainda vinculadas a CBTU, no Nordeste e em Minas Gerais.

Alterações no Estatuto da REFER, no decorrer desses quarenta anos, como não poderia deixar de acontecer, foram feitas não só seguindo o Mercado Segurador como as instruções emanadas do Órgão Governamental regulador da matéria.

Pelo até aqui exposto fica evidente a necessidade da participação efetiva dos Assistidos na vida da Fundação, acompanhando a atuação de seus Dirigentes e dos atos praticados para garantia dos Recursos Garantidores necessários ao cumprimento de seus objetivos, entre os quais o pagamento das aposentadorias a mais de 25 mil ferroviários e metroviários.

Neste sentido é que nos dirigimos a Você Participante solicitando sua reflexão a respeito da importância da REFER em sua vida, para tanto sendo criterioso na escolha do candidato que considerar o mais capacitado para defender seus interesses.

Paulo Leite

Economista- Administrador

Ex- Diretor Administrativo Financeiro da REFER