Comentários de Fernando Abelha
Edição de Luis Fernando Salles

A expectativa de vida no Brasil vai crescer dois anos só na próxima década e a taxa de natalidade, que já é baixa, deve cair 40% no mesmo período, de acordo com dados do IBGE. Não é necessário ser matemático para perceber que a já anunciada deficitária conta da Previdência Social continuará não fechando caso não haja mudanças urgentes no sistema.

No entanto esta reforma não poderá penalizar mais ainda os aposentados e pensionistas. Da mesma forma os trabalhadores, ainda em atividade, aguardam ansiosos o que será aprovado pelo Congresso Nacional. É fundamental que os parlamentares tenham a consciência de que a reforma deve ser sempre para melhor e não reformar, simplesmente, retirando os direitos adquiridos historicamente pelos trabalhadores.

A Reforma da Previdência ganhou, ao lado da Trabalhista, a atenção de todos. Mas existe outra discussão fundamental, impactada pelos mesmos dados sobre envelhecimento que não tem sido vista como relevante para o governo, empresários e mesmo para a população: o sistema de saúde nacional.

E o que vem pela frente é uma tragédia anunciada. A grande maioria da população ainda depende do sobrecarregado Sistema Único de Saúde (SUS) e apenas 25% tem algum tipo de convênio ou plano, a maior parte deles provida por empresas. É bom lembrar aos que decidem os destinos do povo que Constituição garante que a Saúde “é direito de todos e dever do Estado”
Fonte: DCI, Internet