A reforma da Previdência se vier a ocorrer, certamente, levará a classe média assalariada a buscar a Previdência privada, sobretudo a operada por bancos estrangeiros. A afirmação foi feita há pouco pelo economista Marcio Pochmann, professor da Unicamp. Ele participou da audiência pública promovida pela comissão especial que analisa a reforma da Previdência.

Ele afirmou aos deputados que as propostas do governo Michel Temer para a economia, como a reforma previdenciária e o teto de gastos públicos, vão fazer os gastos sociais retornar ao nível do final do governo Fernando Henrique Cardoso. Eles sairiam, segundo ele, dos atuais 23% do Produto Interno Bruto (PIB) para algo em torno de 19%.

Fonte: Agência Câmara