Uma decisão judicial voltou a travar o projeto do monotrilho da Linha 17-Ouro, na capital paulista. O consórcio Signalling, liderado pelos sócios da Viação Itapemirim, conseguiu uma liminar que suspende a licitação que contratou os trens do empreendimento.

O contrato, de cerca de R$ 1 bilhão, havia sido assinado pelo Metrô com a chinesa BYD, e a ordem de serviço já havia sido dada no fim de maio.

Na licitação, o consórcio Signalling ofereceu o menor preço, mas foi desclassificado por não atender aos requisitos mínimos de patrimônio líquido exigidos pelo edital. O grupo é formado por três empresas: a TTrans (dos sócios da Itapemirim), Bomsinal e pela Molinari Rail AG, que tem sede na Suíça.

Segundo o Metrô, o consórcio tentou comprovar sua capacidade financeira pela soma simples do patrimônio líquido dos três integrantes do consórcio. No entanto, o edital afirma que a soma deve ser feita de forma proporcional à fatia de cada um no consórcio, o que leva a um valor abaixo do necessário para a concorrência.

Fonte: https://valor.globo.com/empresas/noticia/2020/06/03/jus…