Texto do engº Geraldo de Castro Filho

Vote para o Conselho Deliberativo nº 32-Geraldo de Castro. Estou apoiando para o Conselho Fiscal nº 82 – Eng. Paulo Cesar de Oliveira

O Processo Eleitoral 2019, que contempla a eleição pelos participantes de um conselheiro no DELIBERATIVO e um conselheiro para o FISCAL está em curso, sob nova sistemática, mais confiável, democrática e transparente. Todo o processo elaborado pela nova Diretoria e posto em prática por eficiente Comissão Eleitoral será AUDITADO e FISCALIZADO, por empresa IDÔNIA com expertise internacional.

Colocamos nosso nome à disposição dos Participantes, para retomarmos nossa épica atuação de GUARDIÃO DA REFER. Como sabido compusemos a equipe efetiva do Conselho Deliberativo em dois mandatos, eleitos que fomos em 2006 e 2009. Em 2013 fomos suplente no Conselho Fiscal, quando as eleições foram procedidas utilizando o voto por telefone e internet que geraram dúvidas e questionamentos.

Somos parte dos fundadores da REFER com a inscrição de número 2 (dois)

Iniciamos nossa carreira ferroviária na Escola Profissional do Horto em BH, sendo pós diplomado, admitido como metalúrgico nas Oficinas de Manutenção de Vagões. Sob concurso passamos a técnico de Mecânica e posteriormente, em 1970, nos Graduamos Engenheiro Mecânico sendo então transferidos para as Oficinas de Locomotivas de Conselheiro Lafaiete, onde permanecemos até 1980. Nesta ocasião fizemos diversos cursos de especialização. No exterior fizemos curso de fabricação e manutenção de locomotivas na Universidade de Nothingham na Inglaterra e na fábrica de Locomotivas da General Eletric em Erie, no norte dos EEUU; quando então, também fizemos testes nas 4 primeiras locomotivas GE-U23C de uma frota de 80 adquiridas para o projeto MBR, as quais fomos o responsável por testes e recebimento de todas elas em Campinas.

Em 1980 fomos transferidos para a Regional Belo Horizonte–SR-2, onde exercemos entre vários cargos. Aposentamos em 1991 como Chefe do Departamento de Manutenção de todo o material rodante da Regional.

Após aposentados, trabalhamos, na Mendes Junior como Consultor Ferroviário e a seguir por 6 anos na manutenção de navios ferry boats na COMAB em Salvador/ Bahia].

Como Conselheiro da REFER tivemos junto com demais Conselheiros e Diretores forte participação no recebimento da divida do Plano RFFSA, o qual esteve após 15 anos de demandas judiciais e políticas, com o sério risco de ter seu patrimônio exaurido e o fundo EXTINTO.  Este mérito, foi todo daqueles que enfrentaram as dificuldades na época para salvar os proventos de aposentadoria dos Participantes.

Agora com o inegável conhecimento de causa temos como META PRINCIPAL NOS INCORPORARMOS AOS ESFORÇOS DA DIRETORIA ATUAL para concluirmos as negociações políticas, já em estado adiantado, para o recebimento da dívida do PLANO CBTU de R$3.8 bilhões. Esta divida impacta negativamente aos Planos CPTM, METROFOR E CENTRAL, além da CBTU, gerando incertezas quanto ao futuro dos aposentados e ativos destas empresas.

Temos também como META assegurar a defesa do PATRIMONIO DO PLANO RFFSA, e defesa da independência da REFER como já fizemos anteriormente, às incursões de oportunistas que venham a ambicionar de forma política a ocupação dos cargos de Diretoria e outros no comando da REFER.