CODEL – Geraldo de Castro – 32

COFIS – Paulo Cesar de Oliveira – 82

Por Geraldo de castro

 O alívio que os ferroviários do plano RFFSA estão sentindo com a garantia de receeber seus proventos por mais 30 anos, devido ao recebimento da dívida do governo com o plano RFFSA, precisa ser estendido aos colegas da CBTU/CPTM.

O recebimento desta dívida bilionária, contratada em sua origem e sonegada por mais de uma década pela CBTU, verdadeira apropriação indébita, quando honrada pelo governo, além de beneficiar os participantes da CBTU/CPTM/ CTS, Metrofor e Central, abrirá caminho para que a CPTM libere a PARTICIPAÇÃO de mais de cinco mil empregados para que sejam participantes da REFER, garantindo-lhes uma aposentadoria suplementada, além do que recebem do INSS.

Há tempos este imbróglio se arrasta com os dirigentes da CPTM negando permitir que novos empregados façam adesão a REFER por causa de ter sido a CPTM arrolada como corresponsável por uma dívida que não é dela; mas da empresa anterior a constituição da CPTM, a CBTU.

Ao conseguir a liquidação desta dívida, o que vem sendo perseguido pela diretoria e  nos propomos fazer se eleitos aos conselhos da REFER, todas as sombras que pairam sobre os participantes do plano CBTU, e das empresas envolvidas serão dissipadas e a REFER continuará a agregar a união de todos ferroviários e metroviários do BRASIL.

Sejamos todos GUARDIÕES DA REFER, não apenas com retórica, mas com AÇÕES EFETIVAS E COMPROVADAS.

Eng. Geraldo de Castro Filho

GUARDIÃO

> VOTE
PARA O CONSELHO DELIBERATIVO
32 – Eng.Geraldo  Castro Filho

PARA O CONSELHO FISCAL
82 – Eng.PAULO CESAR de OLIVEIRA