gimam@ig.com.br

A revista O Globo, de 14-12-18, publica importante matéria sob o título: “Turismo nos trilhos”, tendo como pano de fundo complementar: “Trem de passageiros é a aposta para impulsionar o setor. ” Há anos, vimos batendo nessa tecla, talvez já gasta, em artigos e mais artigos, juntamente com as inúmeras Associações da classe ferroviária e o Movimento de Preservação Ferroviária, tentando-se sensibilizar os insensíveis governos passados, alertando-os sobre a grande necessidade da volta do Brasil aos trilhos, um desafio para o futuro presidente Jair Messias Bolsonaro.

Neste final de ano, por ocasião do período da campanha eleitoral, as Associações, ferroviários e ferroviaristas prepararam e fizeram chegar às mãos dos candidatos estudos técnico-administrativos comprovando a viabilidade de construção de novas ferrovias e a revitalização de trechos de linhas que, estão desativados e abandonados, suscetíveis de circulação de trens de passageiro-turísticos, proximamente.

O saudoso Paulo Henrique, do Movimento Nacional Amigos do Trem-ONG, por alguns anos, buscou reativar, efetivamente, o trecho de linhas Miguel Pereira a Conrado, conseguindo apenas 4,5km entre Miguel Pereira (1º distrito) e Governador Portela (2º distrito), fazendo circular uma automotriz, por meia dúzia de vezes.

O prefeito André Português aspira pela volta do trem de turismo numa versão do original, isto é, com uma locomotiva a vapor e carros de madeira para o transporte de turistas, entre M. Pereira a Conrado, numa quilometragem maior, curtindo-se a bela serra, passando-se pela panorâmica ponte engº André Paulo de Frontin, na aprazível localidade de Vera Cruz.

Os veículos ferroviários serão adquiridos junto ao Sesc Mineiro de Grussaí, que fica no município de São João da Barra/RJ por arrendamento, na negociação da Prefeitura de Miguel Pereira. O prazo poderá ser de 10,20, 30 anos. Os ferroviários, ferroviaristas e moradores estão deveras esperançosos, pois o futuro empreendimento tem a participação efetiva do presidente do Trem Corcovado, engº Sávio Neves, do ferroviarista/economista Antonio Pastori e de Hélio Suêvo (engº), técnicos da Associação Fluminense de Preservação Ferroviária, que fizeram sugestões ao prefeito miguelense, pois veem, nessa empreitada, oportunidade alvissareira, por várias e significativas razões turísticas para Miguel Pereira e o Estado do Rio darem o salto econômico nesse ícone.

Por razoável tempo em discussão, o PL 1252/2012, que cria o Programa de Incentivo à Implantação de Trens Turísticos, foi aprovado pela ALERJ, mas teve o veto do governador, e o Legislativo derrubou o veto e o transformou em Lei 8.210 de 10/12/18, que inclui vários trechos no nosso Estado.

Por abandono pela Ferrovia Centro Atlântico-FCA de 775km de linhas nos Estados do Rio, Minas, São Paulo, e Bahia a ANTT aplicou, com base na Resolução 4.131/13, u’a multa de R$ 1,2 bilhão em valores atualizados. Nessa esteira cabe ao nosso Estado, R$ 250 milhões, por conta do abandono de 173km de linhas, inclusive a Linha Auxiliar.

Sabe-se que o futuro presidente assumirá o governo com muitas batatas quente nas mãos, a partir de 1º de janeiro de 2019; será um plus de desafios, e o “enxoval ferroviário” é um desses, porém não tão difícil de ser resolvido, “no tempo e no espaço, ” (meu jargão), bastando, tão somente, frise-se, vontade política e visão de futuro. Uma coisa é certa; as Associações não darão tréguas ao ministro (ou secretário) dos Transportes e a sua equipe, a fim de que o trem de passageiro, em nível nacional, venha a ser a grande e nova realidade brasileira no sistema viário brasileiro.

Se já está sendo uma realidade a circulação do trem de passageiros/turismo, que ligará Três Rios a Cataguases, que atrairá cerca de 800 turistas por fim de semana, num primeiro momento, a circulação de trem entre M. Pereira a Portela o será, bastando, repete-se, a vontade política das autoridades.

Diz um ditado alemão: “O homem, quando sonha, é um Deus; quando pensa, é um diabo. ” Nós outros: ferroviários, ferroviaristas e empreendedores sonhamos, logo… somos deuses, pois, tanto um ramal, quanto o outro terão a operacionalização de circulação de trens turísticos, com a realização do Messias, o presidente Jair Bolsonaro.

Genésio Pereira dos Santos/Advogado/Jornalista/Escritor