Pesquisa e edição por Luis Fernando Salles

O Estado espanhol pretende investir até o final de 2019, cerca de 4.300 milhões de euros em infraestruturas ferroviárias, nomeadamente nas vias e equipamentos de alta velocidade. No total, o país aponta a um aumento de 17% nos investimentos em infraestruturas de transportes, num valor de 8.900 milhões de euros.

Detalhadamente, a “fatia” para o setor ferroviário cresceu a partir deste ano 25% (ou 878 milhões de euros) face a 2017, indica o Ministério do Fomento. No total, os 4.300 milhões de euros serão canalizados com vista ao cumprimento dos prazos de conclusão dos principais corredores ferroviários, dos quais se destacam: o Corredor Mediterrâneo (923 milhões de euros), o Corredor Noroeste (757 milhões de euros), o Corredor Norte (661 milhões de euros), o Corredor Cantábrico-Mediterrâneo (82 milhões de euros) e o Corredor da Extremadura (283 milhões de euros).

Deste somatório, destaque ainda para os 3.009 milhões de euros direcionados para os corredores de alta velocidade. Na rede convencional, um dos investimentos previstos será a eletrificação do troço Salamanca-Fuentes de Oñoro, junto à fronteira com Portugal. Para as grandes metrópoles, o Governo de Madrid vai investir cerca de 576 milhões de euros nas redes suburbanas, um valor recorde até à data.

Fonte: Internet, Transportes em Revista