É preciso que se registre: sem a CPI dos Fundos de Pensão, cujo relatório final foi apresentado há dois anos, dificilmente teria ocorrido a operação de hoje que está lançando luz sobre as caixas-pretas dos fundos.
“A CPI apurou um prejuízo de R$ 113,4 bilhões com a desvalorização de ativos dos quatro maiores fundos de pensão do país (Postalis, Funcef, Petros e Previ) no período de 2011 a 2015, sem incluir os de menores portes de outras estatais
Somente no Postalis, que é alvo de intervenção pela PREVIC, o rombo foi de R$ 4,1 bilhões. Petros e Funcef acumularam prejuízos de R$ 22,3 bilhões e R$ 18,1 bilhões, respectivamente. Afirma  Rubens Bueno, autor do pedido de criação da CPI.
Felizmente, parte desses recursos começam a ser recuperados e os responsáveis pela corrupção estão sendo presos e denunciados à Justiça”

Fontes: Blog O Antagonista e Internet