Texto e edição de Luis Fernando Salles

Colaboração do engenheiro ferroviário Flávio Rabello

Nos últimos dias 12 e 13 de abriu, na pequena cidade de Sapucaia, interior do estado do Rio de Janeiro, foram apresentados, com direito a shows e festas, os carros restaurante que serão usados no novo trajeto turístico Rio-Minas. A nova atração deve entrar em funcionamento a partir do próximo semestre deste ano.

 

 

Com extensão de 168 km, o trajeto passará por oito cidades, com saída de Três-Rios (RJ) e destino a Cataguases (MG), passando pelos municípios mineiros de Leopoldina, Recreio, Volta Grande, Além Paraíba e Chiador, e a cidade fluminense de Sapucaia. Possibilitará aos seus passageiros observar o lago do complexo hidrelétrico Furnas, além de belos rios, colinas e fazendas centenárias.

Serão duas locomotivas que tracionarão 15 carros de passageiros com capacidade para 860 pessoas, que se cruzarão no meio do caminho, já que cada composição sairá de um Estado. O trajeto completo terá duração de seis horas.

Locomotiva principal Rio minas
Carro de passageiro que será usado no novo Trem Rio-Minas, foi adquirido da Vale. Operava no trecho de BH-Vitória (Divulgação)

Programada para funcionar aos finais de semana e feriados o Rio-Minas terá sua partida pela manhã, com preço ainda a ser confirmado pelos organizadores.

Além de estimular o turismo ferroviário, segmento pouco valorizado em um país continental como o Brasil, o novo trem Rio-Minas permitirá o fortalecimento da cultura e do comércio pelos lugares aonde passar, já que gerará em torno de 500 empregos de maneira direta e indireta, em uma região que chega a ter 900 mil moradores.

Ao longo do percurso, os passageiros poderão ver de perto estações históricas, consagradas pelos séculos de ouro da ferrovia nacional, como a estação de Chiador, primeira do estado de Minas Gerais, inaugurada em 1869, pelo imperador Dom Pedro II. O prédio se encontra em ruínas e deverá ser restaurado por obra patrocinada pela Furnas Centrais Elétricas S.A, com colaboração do Ministério Público de Minas Gerais e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Os carros de passageiros que serão utilizados foram reformados em oficina na cidade de Recreio e adquiridos com o apoio financeiros em torno de R$ 1 milhão, disponibilizado pelas prefeituras locais e um empresário da região. Anteriormente, eles eram utilizados pela Vale no trajeto Belo Horizonte – Vitória.

Ferrovia Rio Minas - restauração
Funcionário da ONG Amigos do trem trabalham na restauração das composições , em Recreio-MG (Amigos do Trem/ Divulgação)

Fonte: Folha de São Paulo, O Dia Online, Hoje em Dia (Site)

Opinião do Blog Ferrovia Vez e Voz:

Por Luis Fernando Salles

O turismo ferroviário no Brasil é um segmento que poderia ser melhor valorizado, seja pelo governo ou pela iniciativa privada, tendo em vista a quantidade de atrações naturais e culturais que um país tropical e multicultural como o nosso dispõe.

A extinta Rede Ferrovia Federal S.A – RFFSA deixou como legado milhares de quilômetros de linhas de ferro espalhadas pelo país, que hoje estão enferrujando, saqueadas ou subaproveitadas. Inúmeros empregos deixam de ser gerados e comércio local é pouco explorado  devido a atual situação de abandono das ferrovias pelas concessionárias que assumiram a operação.

Vimos constantemente nos jornais e noticiários, no que se diz respeito a projetos ferroviários que mudariam o patamar do país, escândalos de corrupção e obras sendo interrompidas pela metade e ficando por isso mesmo.

Dentro deste cenário, pode parecer impossível sonhar com o crescimento do turismo ferroviário do Brasil. Porém, como um veículo de comunicação que defende a ferrovia e sua classe, vamos sempre usar esse espaço para cobrar melhorias.

Para relembrar boas notícias sobre este assunto, o Blog FVV, durante um tempo, divulgou reportagens sobre alguns trens turísticos espalhados pelo Brasil. Nos links abaixo, você poder reler essas histórias.

Passei turístico: Trem das Águas/ Minas Gerais

Passeio turístico: Expresso Turístico – Mogi das Cruzes/ São Paulo

Madeira –Mamoré