Por Fernando Abelha

Permanece na Junta de Dissídios Coletivos do Tribunal Superior do Trabalho – TST, no aguardo da pauta para convocação das partes, o pleito da categoria ferroviária defendido pela Federação Nacional dos Trabalhadores Ferroviários – FNTF em face da VALEC  – Engenharia, quanto as cláusulas econômicas – correção do INPC 2016/2017 e perdas salariais dos últimos cinco anos – com data base em maio de 2017.

Sabe-se, no entanto, que para o pleito dos ferroviários da Companhia Brasileira de Trens Urbanos – CBTU, com data base em janeiro do mesmo ano, a Procuradoria Geral do  Trabalho do TST, deu  parecer favorável à correção do índice inflacionário em 3,98%, referente ao INPC daquele ano. O assunto devetrá entrar em apreciação pela Turma de Dissídios Coletivos nos próximos dias. A classe ferroviária da extinta RFFSA, ativos, aposentados e pensionistas,  aguarda com ansiedade e esperança o resultado da CBTU  que, certamente, servirá de referência aos ferroviários da RFFSA.