Por Fernando Abelha

Edição de Luis Fernando Salles

O advogado Sérgio Bermudes, patrono da Supervia, subsidiária da Odebrecht Transport recorreu da sentença do juiz Paulo André Espírito Santo, titular da 20ª Vara Federal.

Na sentença o juiz condena a empresa à obrigação de reparar e restaurar os danos ao patrimônio cultural e histórico da estação ferroviária Barão de Mauá (Lepoldiona). Estabelece prazo de seis meses para início das obras, findo os quais estará sujeita a uma multa diária de R$ 30 mil, limitada ao teto de R$ 20 milhões. Determina, ainda, que caberá ao Ministério Público Federal a fiscalização dos recursos financeiros na recuperação da Estação Barão de Mauá, tombada pelo IPHAN.

Por sua vez, está acontecendo em Nova York a partir de hoje, exposição fotográfica no Piers 94, 711, 12 th Avenue, NY, 10019 no decorrer da amostra d`arte com flagrantes de vários países. Nesta exposição o Brasil está representado pelo médico aposentado Galdino Neto, hoje radicado nos EUA, e que de há muito se dedica a arte da fotografia.

Das seis fotografias selecionadas de Galdino, quatro delas registram o total abandono da Estação Barão de Mauá, no RJ, ex sede da Estrada de Ferro Leopoldina. A edificação ferroviária, tombada pelo Patrimônio Histórico Nacional, é reconhecida como importante marco cultural da cidade do Rio de Janeiro.

O trabalho desenvolvido por Galdino Neto e selecionado na VIP Show to Artexpo New York, contou com a sugestão de Jorge Moura, ex-diretor da Rede Ferroviária Federal S/A – RFFSA e diretor do Serviço Social das Estradas de Ferro – SESEF com sede no 4º andar da Estação Barão de Mauá. Jorge Moura se encontra em Nova York participando do evento.